segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

no meio do rio tinha uma pedra

Pela segunda vez caminho até São José que esta fixado na chamada 'Pedra do Guindaste', localizado ao lado do Trapiche Eliezer Levy. Segundo alguns relatos historicos na década de 1940, o local da pedra era um aglomerado de rochas e servia de alvo nos exercícios dos soldados e que em 1958 uma embarcação colidiu com a pedra que existia e assim foi trocada pelo bloco de concreto com a estátua do nosso santo protetor.
Como em toda Amazônia os mitos e lendas rondam as cidades e a pedra do guindaste e essa a seguir é contada por um morador da cidade...


A famosa pedra é connhecida por suas lendas que fazem parte da rica cultura do caboclo amapaense. Uma delas é contada pelos moradores da antiga rua da Praia e Igarapé das mulheres, hoje bairro de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Afirmam exixtir na pedra uma cobra grande, com dimensões ainda não calculadas, que na maré de reponta - ou seja, quando a água do rio não está na cheia e nem na vazante - sai dali para tomar água, de maneira que a mesma nunca conseguiu cobrir a pedra. Se porventura, alguma autoridade tiver a infelicidade de mandar retirar a pedra do rio, a água do Amazonas subirá tanto, que Macapá toda irá para o fundo.
Outra versão da lenda é que havia na tribo dos Tucuju - primeiro povo habitante dessa terra - uma índia muito bonita, apaixonada por um índio que todas as manhãs saía pela praia em busca de alimento. Quando ele saía, a namorada acompanhava-o até a praia e lá ficava o dia todo, até o sol pousar na Lagoa dos Índios, quando o índio voltava e a levava para a maloca. Isso acontecia todos os dias e começou logo a ser observado pela tribo. Num certo dia, de manhã cedo, como acontecia todos os dias e começou logo a ser observado pela tribo. Num certo dia, de manhã cedo, como acontecia sempre, o índio desceu o rio pela praia e sua amada ficou à espera no local de sempre, mas aconteceu que ele não voltou. A noite chegou, a índia desesperada ainda o esperava em vão. Acocorou-se e chorou a noite toda, dias e dias, e lá morreu. No lugar de suas lágrimas nasceu a pedra com formato de corpo de mulher, que mais tarde, muitos anos depois passou a ser conhecida comoPedra do Guindaste. Texto extraído do livro "Amapá - Cultura, poesia e tradição"

E assim com fé o amapaense segue :)


Naramazonie

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Macapa