domingo, 30 de março de 2014

Cinco pontos da rota 156



Durante a viagem até Oiapoque os restaurantes de beira de estrada são poucos, e ainda precisam de uma ajuda no que se trata organização nutricional, e ofertas de produtos um apoio principalmente da gestão de turismo do Estado. Assim pode-se ter realmente a valorização dessa região rica em gastronomia regional 100% amazônica.
Durante toda a rota 156 podemos descobrir lugares fascinantes, saborosa gastronomia, gente hospitaleira e um povo que precisa muito do apoio do poder publico e de pessoas que desejam ajudar com projetos que valorizem ainda mais a gastronomia, o turismo e o meio ambiente fortalecendo a economia local de cada ponto de parada :)
Muitos dos produtores locais de hortaliças e pescadores moram nos arredores, facilitando assim a chegada do produto sem aumento de preço pelo atravessador.

A primeira parada é no Municipio de Porto Grande com cerca de 13mil habitantes. O restaurante nessa parada é o UAI. Os trilheiros tem a sua disposição um menu que vai do café ao jantar. Para quem quer fazer um tour ecologico e conhecer a cidade é uma boa pedida, com seus riachos, pousadas é um lazer imperdivel. O evento que movimenta a cidade é o Festival do Abacaxi que ocorre no mês de setembro. O abacaxi é um dos frutos mais produzidos do Municipio de Porto Grande. Durante o festival os produtores investem em sua produção realçando o sabor e o valor da fruta com compotas, bolos, tortas e biscoitos entre outros. A festa em louvor à Nossa Senhora Aparecida do Brasil, padroeira da cidade, que acontece no mês de outubro. O cenario de atrações naturais é um previlégio para os habitantes e visitantes. Inumeros recantos ecológicos foram criados para oferecer um lazer a mais para os trilheiros que buscam tranquilidade, aguas impidas e uma gastronomia regional de qualidade.
Porto Grande 
A segunda parada pode ser no Municipio de Tartarugalzinho também tem um restaurante self-service, no menu doces e salgados. Mais a frente, seguindo a rota 156, um riacho de aguas claras e frias pode ser uma boa pedida para dias mais quentes :) Eventos movimentam a economia local como: Tartarugal Verão nos mês de julho, o Festival da Banana que acontece no mês de dezembro, o Forrozão Municipal no mês de junho e o Rodeio do Mineiro no mês de outubro.
A economia local gira em torno da agropecuária, onde os principais produtos fabricados pelos fazendeiros locais são o famoso queijo da região, a manteiga líquida e o doce de leite. Produzidos artesanalmente, mas com forte apelo comercial, principalmente na capital.

A terceira parada é o Municipio de Amapa cerca de 300km da capital Macapa, onde existem pequenos restaurantes e pousadas. O Municipio tem como principal atrativo a Base Aérea que tem um projeto de se tornar Museu da Segunda Guerra, por ter servido de apoio ao Exército e à Marinha Americana. No local ainda existem componentes remanescentes da segunda guerra, como torre de atracação de zepelins, paiol de munição, sucatas de um Jeep, de um trator e de um carro de bombeiros. Além destes atrativos, há ainda a cachoeira grande (que mesmo pertencendo ao município de Calçoene, fica próximo da cidade de Amapá). Na frente figura uma estátua em concreto do seu herói maior, o Cabralzinho.
 A quarta parada é Municipio de Calçoene um lugar que tem o cheiro da agua do mar. Goiabal oferece cinco quilômetros de areia clara!Única praia de oceano do Estado do Amapá, tem areia clara e águas turvas, principalmente de janeiro a junho, quando toda a região costeira recebe as águas do Rio Amazonas. No verão (de junho a dezembro), as águas ficam mais limpas, e a faixa de areia aumenta

No mês de junho organiza-se o Festival do Caranguejo, e em dezembro, festividades em louvor à padroeira da cidade, Nossa Senhora da Conceição.
Entre as principais atrações turísticas do municipio também são a vila histórica de Cunani, que já foi república por duas vezes, a Cachoeira Grande.

Para os amantes dos enigmas da terra, eis o Parque Arqueológico do Solstício, situado em Calçoene, um sítio arqueológico de arte rupestre de interesse histórico e turístico conhecido por abrigar o Observatório Astronômico de Calçoene.
Um dos mais famosos é o Stonehengen da Inglaterra, mas existem também na Turquia, Portugal e Nigéria.
As escavações no sitio arqueologico de Calçoene estão sendo feitas com profissionais da arqueologia do IEPA, Instituto de Estudos e Pesquisas do Amapa desde 2006. De acordo com estudos os fragmentos cerâmicos encontrados nas redondezas do sítio arqueológico,estimam que a idade do mesmo esteja entre 500 e 2 000 anos.

Durante o percurso da BR 156 podemos observar alguns moradores vendendo pequenas quantidades de sua produção, como bananas, macaxeiras, pupunhas, farinha, tudo de acordo com a safra de cada estação :)

A quinta parada na rota 156 começa pelas aldeias indigenas da terra Uaçà ponto de cultura de descoberta e de orgulho desse povo lutador e respeitador do nosso planeta :)


Depois de Calçoene são cerca de 221km até Oiapoque entre aldeias e pontes até a a fronteira entre o Brasil e a Guiana Francesa.

terça-feira, 25 de março de 2014

Rota 156

Rio Oiapoque que separa o Brasil da Guiana Francesa, ao fundo a ponte Binacional

Comecei a descobrir esse começo do Brasil em 2004 durante visitas de trabalho. Depois meu irmão se instalou por la como agrônomo, vivia trilhando estradas de terra e de àgua ajudando os pequenos agricultores a se sustentarem em seus plantios.
Certo dia alguém me convidou para um trabalho de extensão da UNIFAP nesse lugar tido como faroeste da Amazônia. Alguns diziam cidade sem lei, outros a chamavam de antro de perdição, de drogas entre outras coisas.
Mesmo assim tudo isso não me afastou desse lugar que de alguma forma me dizia para ficar :)
A dificuldade para se chegar em Oiapoque pela BR 156 era catastrófica. Poucas pessoas se aventuravam nesse rali do começo do Brasil. A foto embaixo pode ilustrar a dificuldade, o atoleiro ai é pequeno perto das montanhas russas que se enfileiravam durante a viagem cerca de 593 km.
Durante o trajeto de cerca 8horas parando em alguns restaurantes de beira de estrada para um café ou almoço.
Hoje faltam cerca de 117km (três horas de terra batida entre Calçoene e Oiapoque) para que o asfalto seja completo e assim a viagem se torne mais confortavel.

Como em toda rota pelo nosso continente chamado Brasil, existem muitas belezas para serem exploradas, curtidas, é um facebook com um cantinho para cada gosto :)
Papoula branca ou Hibiscus
Eu sou uma apaixonada por natureza, cresci no pé das arvores apanhando goiaba, jambo, tomando banho de chuva, correndo solta pelo quintal, como diz minha sobrinha "tia tucuju". Então eu não poderia ficar sem dar o devido valor à nossa natureza exuberante, diversa, colorida, cheirosa, de texturas diversas que inspiram moda, perfumes e decoram o mundo todo.
Eis algumas das flores que encontrei durante a rota da terra tucuju BR156!
Nessa época do ano os verdes da floresta aparecem em ondas que vão do tom mais claro ao mais escuro.
Uma pena que ainda não se tenha uma gestão de turismo de desenvolvimento para que as paradas de descanso durante a viagem da BR156 sejam mais proveitosas, saborosas e suculentas. Temos tudo para ter esses adjetivos a favor do crescimento da região, lindas paisagens, sabores diversos e aromas inesquecíveis e gente acolhedora
Essa região do começo do Brasil tem inúmeros pássaros de cores incríveis e tamanhos.
O que chama mais atenção é o beija-flor com suas cores que vão do oliva ao turquesa, alguns toques de vermelho e branco em tons metalizados. Eles são encontrados nos quatro cantos do Amapá, me disseram inclusive que alguns piratas da biodiversidade(estrangeiros caçadores de tesouros naturais) estão vindo ao Amapá para pegar o mais famoso deles, o Brilho de Fogo.
A partir dos outros post eu vou falar de cada restaurante e município seguindo a BR156 até Oiapoque ;)






domingo, 9 de março de 2014

Bom dia da Capital do Meio do Mundo


Bom dia leitores :)
Bom tô fazendo o possivel de não deixar de escrever por aqui, alias quero poder fazer mais e que seja constante, tanta coisa para contar, recitar e fotopostar !!!
Hoje estou terminando um artiblog sobre essas mulheres guerreiras da agricultura amazônica que com a ajuda da mãe natureza da Amazônia brotar produtos que nutrem e fazem o sabor dessa região mais ainda inesquecivel :)
Veja no proximo #artiblog!

Naramazonie

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Macapa