quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Troque-Verde...


Que tal organizar em seu bairro ou em sua cidade um?
Que você seja um profissional da jardinagem ou apaixonado pelo verde, você pode mobilizar sua familia, amigos, colegas de trabalho, associações, etc.

O princípio deste encontro seria trocar plantas, astucias, conselhos e tudo o que possa ajudar a ter um jardim, um pequena parte do planeta em suas mãos. Assim todos estariam ajudando a melhorar sua rua, bairro e cidade. 
Não devemos deixar tudo nas mãos dos prefeitos, e também devemos tomar iniciativa  de melhorar o ambiente que vivemos.
todos participam :)
E para que essa idéia tenha mais êxito, entre em contato com os órgão responsáveis da urbanização de sua cidade para pedir parceria e apoio nessa idéia :).
De onde vem essa idéia...
O primeiro troc-vert aconteceu há 9 anos na cidade de Montreuil na região de Ilha de França, e assim cresceu e se espalhou por varias cidades da França. Um encontro de jardineiros, urbanistas, habitantes, botânicos entre outros.

O ônibus das curiosidades


Sejamos curiosos!
Bem-vindos ao transporte coletivo que leva os passageiros à destinos desconhecidos através des espetáculos. O ônibus conduz os curiosos a um espetáculos cujo seu conteudo e o local de apresentação é secreto. Somente a data e a hora da partida do ônibus que é conhecida pelos usuários dessa linha destino da arte.
Dentro do ônibus todas as gerações se encontram, crianças, jovens e adultos com um unico pensamento a procura de resposta "Onde será a próxima parada?"

A concepção do projeto visa...
Através de uma inscrição, o publico voluntário se encontra no local de partida escolhido pelo "Ônibus das curiosidades" e se deixa levar até sua destinação desconhecida para descobrir um patrimônio, um espetáculo...um viagem de multiplas faces.

Esse projeto permite, entre outras coisas o efeito surpresa no telespectador, de desenvolver um ato mais cidadão evitando o transporte individual sendo assim uma ação ecoresponsável. O publico circula continuamente entre o mistérios de espetáculos variados. Ele também cria um elo social permitindo os atores locais de acompanhar seu publico em direção à um destino cultural, fortalecendo assim o vínculo que é criado entre os habitantes do campo e da cidade.
Esse projeto foi criado na região de Gironde na França pela programadora artística do meio rural Veronique Pommier. Há 17 anos ela é responsavel por projetos artisticos integrando diversidade no mundo da cultura. Uma forma de lutar concretamente para que a cultura artística não seja apenas reservada a uma classe social elitizada.
"Quando vejo nos olhos dos expectadores que brilham de terem visto esses espetáculos e quando alguns entre eles confessam que esse cenário artístico não pudesse chegar até eles, eu me sinto realizada por ter concretizado essa idéia" diz a criadora Veronique.
Assim o ônibus das curiosidades continua sua estrada em paradas espetaculares e reveladoras de talentos e em breve novos destinos serão anexados ao seu roteiro de viagem pelo mundo da arte.

Você encontra no facebook 
www.facebook.com/busdescuriosites/photos_stream
e no site
http://www.busdescuriosites.com

terça-feira, 27 de novembro de 2012

A escravidão continua..

Uma jovem do Quênia conta o seu calvário, fugindo de seu país, ela caiu em mão de escravistas. Ela foi doméstica na Arábia Saudita na casa de uma família real. Depois de três anos e dois meses de maus-tratos ela conseguiu escapar durante uma escala a Paris acompanhando a familia real em uma viagem. Relato de um inferno moderno...


"Eu tenho 29 anos e Maria não é meu verdadeiro nome, mais eu tenho medo de que me reconheçam. A maioria da minha familia não sabe nada do que acontecu comigo, eu não quero que eles sofram. Um dia eu tive sonhos. Eu gostariaa de estudar Direito ou de ser enfermeira e de ser uma mulher independente. Eu cresci na periferia de Mombasa, a segunda maior cidade do Quênia,. Vivíamos eu, meus dois irmãos e meus pais. Meu pai era mecânico, e minha mãe dona de casa. Meu pai não ganhava o suficiente para pagar meus estudos , então um dia descobri que ele tinha me prometido à um de seus amigos em troca de dinheiro. Foi assim que descobri que eu não teria um futuro como previa de seguir até a universidade. Meu futuro marido já tinha outras três mulheres e eu seria a quarta. Eu não queria essa vida, e assim decidir seguir outro caminho. Meu pai era um homem severo e que não poderia ser contrariado, ele aplicava sua lei segundo o que ele passou durante sua infância com seus pais violentos. Quando ele ficava bravo ele nos batia com um cano de borracha. Meu irmão mais velho se rebelou e deixou-nos para tentar a vida na capital, Nairobi. Eu vou parti também, eu que nunca sai de casa sozinha, vou decidir meu destino.
Uma de minha amigas trabalhou na Arábia Saudita. Ela pode me ajudar a encontrar um trabalho là, assim posso ganhar o suficiente para pagar meus estudos universitários. Sem dizer a ninguém eu preparo minha viagem. Uma familia procura um professor de inglês eles são parentes distantes do rei Fahd. Chamamo-os de principe e princesa. Eles são de acordo em pagar minha viagem e me fornecer um visa de estadia naquele país.
Eu faço minha mala com algumas roupas, eu pego meu passaporte que minha mãe guarda com os seus papéis de familia na gaveta de seu armário e eu deixo a casa sem deixar explicações. Pego um táxi até a capital e depois ao aeroporto, é a primeira vez que viajo de avião. Eu choro toda a viagem, meus olhos são vermelhos e inchados.
A Ryad um policial me pede meu passaporte. Eu abro minha bolsa e dou meu passe para o policial e ele dá a pessoa que vem me buscar no aeroporto um homem negro e alto. Ele não fala inglês, e ficamos durante todo o trajeto mudos até chegar na mansão. Eu olho pela janela e vejo a cidade completamente vazia. Eu penso em meus pais, e repito para mim mesma "Tu ganhas dinheiro  e tu voltas para o Quênia". Eu não sabia que estava chegando em uma prisão. Uma mulher me recebe e mostra meu quarto, um espaço separado da casa o qual devo compartilhar com uma moça filipina. Dois outros empregados dormem ao lado. Pero dos quartos um pequeno banheiro, sem janelas,  apenas uma pequena abertura para a climatização.
A casa é imensa. Os salões, os quartos, os sofas, os tapetes, os móveis séao intermináveis. Aqui vivem um casal  e seus sete filhos, quatro meninas e 3 meninos.A princesa me explica que que eu devo me ocupar deles e de suas filhas de 13 e 165 anos como uma mãe faria: lhes alimentar, les vestir, lhes acolpanhar  em todo o lugar; lavar e passar e estar à disposição durante 24 horas por dia.
Minhas jornadas começam às 5 horas da manhã. Eu preparo o café da manhã eu acordos e visto todos eles. Sim até mesmo os adolescentes.A primeira vez a mais jovem me disse " Coloca minhas meias, , rápido!". Em seguida nós partimos para a escola. A familia possui seis carros, mas somente o principe deve andar sozinho com o seu  motorista. Eu carrego as mochilas até a sala de aula de cada um, e após eu retonor para fazer a limpeza. Eu sei que logo a princesa chegará para fazer a inspeção passando seu dedo para ver se não existe mais poeira nos móveis. O mais terrível é lavar a roupa, para tirar o sabão sa maquina não faz então é a mão, demora horas e a água é glacial. A sala de lavar roupa é no alto  da casa e no inverno ela congela. No verão é tão quente que precisamos lavar a roupa de calcinha e sutiã. Nós não temos o direito de lavar nossas roupas na máquina da casa, devemos nos contentar com o lavabo. E quando o fazemos, uma das colegas de trabalho denuncia e a princesa nos pune.
Se uma das meninas tem um problema na escola, eu que devo ir resolver ir buscá-los e os levar ao hospital se o caso é sério. Os pais dormem ele acordam somente às 18horas e dormem ao amanhecer. Logo que seus filhos acordam. O príncipe dirige uma imobiliária, ele parte ao escritório logo após a oração da noite, ou seja 23horas e hora do jantar. Nós esperamos a nossa vez para jantar, somente apó que eles terminarem, isso se eles nos deixam os restos.
Eu fiquei três anos na casa deles, eu não poderia passar toda minha vila com eles.Nunca tive um dia de folga, ganhávamos cerca de 800 reais. Eu não tenho o direito de telefonar para minha família, as unicas saídas para comprar roupas, por exemplo, devem ser autorizadas pela princesa e somos sempre acompanhadas pelo mototista. As saídas são raras, cerca de duas vezes por ano. Outras oportunidades são quando vamos acompanhar a familia em viagens. E um sinal de riqueza de aparência para eles estarem acompanhados pelos empregados, os que não têm são mal vistos pelo povo. Eu encontro outros empregados eles me contam diversas histórias, e em uma delas de uma moça que se jogou do alto da casa. Ou ainda outra que deixou seu filho de três meses na casa dela sem esperança de revê-lo. E mais de uma patroa que exige de sua empregada que puxe a descarga do sanitário no seu lugar. Eu entendo que sem passaporte e sem dinheiro sou prisioneira aqui.
O pior momentos são as férias. As crianças ficam diretamente em casa. Uma delas dorme de dia e passe as noites na frente da TV, e eu devo acompanhá-la até o amanhecer sentada no chão , pois não tenho autorização de sentar no sofá. E mais sua irmã se levanta cedo, e eu não tenho tempo para dormir. Isso diverte a mais jovem que joga de propósito no chão seu refrigerante e diz "limpa!". Quando eles partem em viagem para Dubai, Jordânia, Egito nós vamos com eles sem saber por quanto tempo ficaremos. Isso nos deixa apreensivos pois eles não reservam quartos para os empregados  nós dormimos no chão ao pé da cama das princesas. Quando eles comem em restaurantes ficamos aguardandos os restos para que possamos nos alimentar. Muitas vezes nós levamos biscoitos nas valises e quando eles saem para passeios pela cidade nós vamos raramente. A maior parte do tempo nós ficamos nos hotéis trancafiados. 
Em outubro de 2008 a familia passa alguns dias em Geneva e decide ir até Paris. Nós pegamos o trem. Eu sou a unica doméstica a acompanha-los nessa viagem. Eu fico no quarto do hotel e passo a roupa de toda a familia. Um dia  que todos sairam o filho mais velho abre a porta e com um canivete e me estupra.
Desconcertada  eu fujo e ando pela cidade que não conheço. Ando mais rápido para ficar distante dessa família que me mata a cada dia. Eles esqueceram a porta aberta, então aproveitei para escapar dessa prisão, Longe da Torre Eiffel e com os olhos queimando de lágrimas eu não esqueço da direção que devo tomar e sigo o grande farol. Chego ao Trocadéro e me jogo em um banco chorando...eu não tenho nada, nem dinheiro, nem documentos. Uma mulher que passa pelo local se aproxima  e diz "O que se passa senhorita?. Eu não entendo francês. Em inglês ela me pergunta de onde eu venho. Ela me conduz até a embaixada do Quênia. Na Embaixada eles me colocam em contato com o Comitê contra a Escravatura Moderna (CCEM). Eu vou denunciá-los! Mas, me dou conta que não sei muita coisa sobre essa família de exploradores, nem mesmo o endereço ou o numero de telefone. Eu não conheço o nome do hotel onde estavam hospedados, ou onde eles farão a futura destinação. Eu sei que eles não serão jamais indiciados, pois são membros de uma familia real...por enquanto nada aconteceu.
Eu quero virar a página. Eu poderia voltar para o Quênia, recomeçar a vida lá perto da minha familia, onde eu nunca deveria ter saído. Eu entrei em contato com meus pais e eles entenderam minha escolha de ficar em Paris. Eles não sabem de nada pelo que passei, nem do estupro, nem da escravagem, isso iria lhes machucar. Em 2011 meu pai faleceu. Eu gostaria de poder ter tido tempo de falar para ele que apesar de tudo eu o amava. Mas é tarde! Eu recomeço minha vida,  aprendi o francês e obtive um visa para ficar na França. Eu fiz uma formação e tenho dois empregos: reparo crianças e dou aulas de inglês a domicílio. Eu tenho um companheiro a pouco tempo, pois é difícil fazer confiança à um homem. Pela primeira vez de minha vida, mesmo que eu não tenha mais sonhos, eu me sinto livre."
Fonte: Le Nouvel Observateur 22 novembro 2012

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Os food trucks chegam para ficar...


A cozinha "fast food" atualmente chamada de "food trucks" ganha literalmente as ruas da França, os ambulantes ganham espaço entre os grandes resturantes de Paris e da maioria das cidades grandes francesas. Um fast food que demora até qutatro horas para degustar um hambuguer dessas cozinhas intinerantes.
Do hamburguer ao café, do almoço ao jantar essa tendência foi exigida por um publico cada vez mais desejoso de comer bem sem pagar . A convivialidade de uma boa refeição seja na escada entre amigos, no parque e praças ao meio-dia, ou no fim de uma longa jornada de trabalho ou de estudo. Do mais sofisticado burguês parisiano ao mais simples trabalhador formam a fila para serem atendidos no 10° Distrito em frente a um dos famosos fast food a francesa chamado Bigfernand. 

A alguns passos da praça Voltaire dois jovens empreendedores baritas que propõem cafés em todas suas diversidades de origens e sabores. Quando o estoque acaba um nova receita nasce. Segundo a prefeitura de Paris, ela recebe diariamente centenas de pedidos para que novos caminhões e ambulantes se instalem nas ruas da cidade e até hoje apenas três foram autorizados, que são o Camion qui fume (o pioneiro do food trucks), a Cantine California e le Réfectoire.
www.lecamionquifume.com
www.cantinecalifornia.com/

www.le-refectoire.com
Um ambiente das américas nas ruas de Paris, pois esses veículos fazem parte da déco de ruas e bairros das cidades da América do Norte e do Sul. Nos EUA os caminhões especializados em tacos e outras especialidades latinas que alimentaram gerações de trabalhadores e gente da noite,  grandes filas de novos clientes que desejam degustar esses sabores calientes. 
Depois de 2007, a crise na França direciona os novos aspirantes a chefes, ao modelo food trucks. As receitas vindas das américas foram adaptadas aos produtos tradicionais franceses como pães, conservas, geléias, crêmes, champignons e outros ingredientes.
Até os anos 90 a cozinha francesa era vista como sinônimo de classes dominantes,  de intelectuais e jet-sets. Com o tempo ela precisou ir se adequando às outras classes e aos poucos as receitas tradicionais regionais precisaram sair do bau e voltaram com força total, reforçando a mesa farta chamada de « A La Bonne Flanquette », ou seja simples, de gosto familiar. Um cozinha liberta e diversificada com ingredientes vindos diretamente do produtor, uma mesa mais acessivel à todos, acolhedora, e descontraída.
Essa tendência se refletiu também no modo de falar dos franceses onde gastronomia(gastronomie) deu lugar a bóia (bouffe) e restaurante a restô.
Os programas de TV também ajudaram a transformar essa "bóia" em objeto de desejo graças a emissões culinárias como "Dîner Presque Parfait" e "Cauchemar en Cuisine" entre outras.
undinerpresqueparfait.m6.fr/
www.m6replay.fr/w9/cauchemar-en-cuisine/#/w9/cauchemar-en-cuisine/
Fazer receitas e eleborar cardápios se tornou um ato sexy e mais, separando o joio do trigo :)
Os blogs e vidéos também ajudaram nessa mudança contribuindo e permitindo que pessoas simples se tornassem reis e rainhas da cozinha, simplesmente utilizando receitas de seus livros culinarios ou de familia e com astucias não calóricas. Até o famoso Larousse criou um site que seleciona os melhores da cozinha e receitas inéditas faceis de preparar, ou se você quiser vamos até cozinhar como uma chefe francês :)
www.larousse-cuisine.fr
Essa paixão de sabor também se tornou uma maneira de viajar, de visitar culturas e continentes. Hoje através da net podemos visitar as mesas do mundo e compartilhar essas delicias em qualquer lugar que estivermos. Lugares de verdadeiros sabores tradicionais  que viraram um luxo insubstituivel.
Visitar monumentos e lugares turísticos cada um pode fazer, mas conhecer os melhores pontos para saborear e degustar receitas nem todos podem fazê-los.
Então antes de visitar uma cidade procure os blogs e sites, e se informe sobre os pontos de restôs e food trucks para que sua visita seja verdadeiramente prazeirosa.

sábado, 24 de novembro de 2012

CHOCOtendências perigosas?!!?...

Quanto mais um país consome o chocolate, mais ele tem chance de obter o prêmio Nobel. Segundo a revista medical americana New England Journal of Medicine o cacau estimula as capacidades mentais de forma positiva. Os poderosos antioxidantes que encontramos em grande quantidade nos grãos de cacau, no chá verde e no vinho tinto tem mostrado que eles reduzem o risco de demência e ajuda a proteger a saude mental.
A Suiça está entre os maiores ganhadores de prêmio Nobel e é o maior consumidor de chocolates do mundo, segundo os fabricantes de chocolates. Os  Estados Unidos, a França e a Alemanha estão na média, enquanto que a China, o Japão e o Brasil estão entre os menores consumidores.
A Suécia é uma exceção, pois ela consome cerca de 6,4 kg de chocolate por ano e por pessoa, ela deveria segundo os cálculos, produzir 14 prêmios Nobel, e ela tem 32. Existem duas explicações para essa contradição, ou o comitê de Stockhom favorisa a prata da casa, ou seja os Suecos, ou eles são particularmente sensiveis ao efeito do chocolate. Um terceira hipotese e que o autor do estudo não evoca, é que o chocolate e o Nobel não tem nada a ver um com o outro, ou seja essa correlação não existe!!!!
O que sabe hoje é que, o consumo de um quadrado e meio de chocolate por dia permite de proteger as artérias, reduzindo o risco de ataque cerebral e infarto, sendo mais eficaz que certos medicamentos.

Este estudo que tem tendência de encontrar uma ligação entre o consumo de chocolate e o prêmio Nobel estimulou diversas críticas. Dois jovens pesquisadores britânicos James Winters e Sean Roberts, especializados em liguagem e cognição fizeram também seus testes com esse delicioso produto dos mortais. Eles publicaram em um site internet o replicatedtypo, Resposta à Franz Messerli. Os dois jovens usaram a metodologia do cardiólogo e acharam entre outras uma correlação entre o consumo de chocolate de um país...e o numero de assassinos desse país é estimulante e ativo. O lado obscuro dos colorantes aparece subitamente, sendo assim você não vê com os mesmos olhos a tablete de chocolate ou o achocolatado do café da manhã.
Será que ele vai ser proibido?
Faria ele parte do menu de Jack o estripador?Ou seria apenas a prova absurda que a metodologia e as conclusões tiradas no estudo de Franz Messerli não seriam as mais rigorosas ?
Em todo o caso é melhor consumir moderadamente, o mais sensato :D.

Fonte:http://passeurdesciences.blog.lemonde.fr/2012/11/21/le-chocolat-engendre-t-il-des-tueurs-en-serie/

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

No coração do país das luzes

Saverne iluminada para a chegada das festas de fim de ano
Continuando os passos da rota de Natal da Alsácia vamos pelas ruas do país das luzes ao coração da lendária menina de branco Christkindel, que aparece na noite de Natal. A cidade de Saverne na Alsácia se veste de luzes brancas para receber essa personificação do menino Jesus.
A lendária menina de branco Christkindel
Saverne, cidade das rosas e dos jardins floridos, recebe os amantes das flores e das plantas, um encontro romântico, espiritual de acordo com o desejo de cada um...mas é no fim de ano que ela se enche de brilho e turistas do mundo todo chegam para se maravilhar com suas décos de Natal, seus perfumes et seus sabores.
Um ambiente de magia natalina começa no dia 30 de novembro até o dia 2 de janeiro. Na rua principal até a praça central as luzes iluminam um percurso até a fonte da cidade que é transformada nessa época em creche e onde também encontra-se a pista de patinagem na neve o lugar de diversão das crianças e jovens.
Seguindo as luzes, encontramos a cidade de 
Pfaffennhoffen, o reino da arte do papel cortado...
Unico na França o museu do Imaginário popular se situa no coração da região da Alsácia que depois da metade do século XVIII reune uma coleção de cerca de 3000 objetos pintados a mão, alguns deles feitos com a arte do papel cortado que datam do século XIX.
A partir de 2 de dezembro. No museu do Imaginário Popular exposições são feitas com imagens de papai noel, renas, bolas de natal, estrelas, chalés da neve que começam a partir do dia 25 de dezembro.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Presentes invisíveis°°°


Conta uma lenda medieval que no país que hoje conhecemos como Áustria, a família Burkhard – composta de um homem, uma mulher, e um menino – costumavam animar as feiras de natal recitando poesias, cantando baladas de antigos trovadores, e fazendo malabarismos para divertir as pessoas. Evidente que nunca sobrava dinheiro para comprar presentes, mas o homem sempre dizia a seu filho:

- Você sabe por que a sacola de Papai Noel não se esvazia nunca, embora haja tantas crianças neste mundo? Porque embora ela esteja cheia de brinquedos, às vezes existem coisas mais importantes para serem entregues, os chamados “presentes invisíveis”. Em um lar dividido, ele procura trazer harmonia e paz na noite mais santa da cristandade. Onde falta amor, ele deposita uma semente de fé no coração das crianças. Onde o futuro parece negro e incerto, ele traz esperança. No nosso caso, quando Papai Noel vem nos visitar, no dia seguinte estamos todos contentes de continuarmos vivos e fazendo nosso trabalho, que é de alegrar as pessoas. Jamais esqueça isso.

O tempo passou, o menino transformou-se em rapaz, e certo dia a família passou diante da imponente abadia de Melk, que acabara de ser construída.O jovem pela primeira vez manifestou sua vocação escondida, que era tornar-se padre. A família entendeu e respeitou o desejo do filho. Bateram na porta do convento, foram acolhidos com amor pelos monges, que aceitaram o jovem Buckhard como noviço.

Chegou a véspera do natal. E justamente naquele dia, um milagre especial aconteceu em Melk: Nossa Senhora, levando o menino Jesus nos braços, resolveu descer à Terra para visitar o mosteiro.

Orgulhosos, todos os padres fizeram uma grande fila, e cada um postava-se diante da Vigem, procurando homenagear a Mãe e o Filho.

No último lugar da fila o jovem Buckhard aguardava ansioso. Seus pais eram pessoas simples, e tudo que lhe haviam ensinado era atirar bolas para cima e fazer alguns malabarismos.

Quando chegou sua vez, os outros padres quiseram encerrar as homenagens, porque o antigo malabarista não tinha nada de importante para dizer, e podia desmoralizar a imagem do convento. Entretanto, no fundo do seu coração, também ele sentia uma imensa necessidade de dar alguma coisa de si para Jesus e a Virgem.

Envergonhado, sentindo o olhar reprovador dos seus irmãos, ele tirou algumas laranjas do bolso e começou a jogá-las para cima e segurá-las com as mãos, criando um belo círculo no ar, igual ao que costumava fazer quando ele e sua família caminhavam pelas feiras da região.
Foi só neste instante que o Menino Jesus começou a bater palmas de alegria no colo de Nossa Senhora. E foi para ele que a Virgem estendeu os braços, deixando que segurasse um pouco a criança, que não parava de sorrir.

(baseado em uma lenda medieval)

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Os CREPES franceses...

Nada melhor do que um jantar ou lanche da tarde com crepes para tods os gostos. Salgados com recheios de creme de frango, atum e salmão, queijos e presuntos...os doces são sempre acompanhados de geléia de morango, laranja, pêssego, chantilly e frutas secas, compotas....
Os pontos de preparação dessa delícia é encontrada facilmente nas cidades francesas, o perfume rapidamente é reconhecido quando caminhamos perto de uma creperia :) 

a história...
O crepe não é uma receita criada recentement, segundo várias pesquisas os historiadores chegaram a conclusão que sua origem data de 7000 a.C. A receita da época era mais grossa feita com uma mistura mais pastosa e consistente obtida pela mistura de diversos cereais e  água. A caçarola de hoje era uma pedra chata que servia de recipiente para se fazer os crepes dessa época. O crepe apareceu na Bretanha no século XIII com o aparecimento da cultura do trigo sarraceno que surgiu na época das cruzadas Asia.

a lenda...
Dia de fevereiro se tornou tradicionalmente o dia dos crepes. A lenda reza que nesse dia você faça os crepes com a mão direita, e uma moeda (de preferência de ouro) na mão esquerda para garantir prosperidade o ano todo. Outras supestições existem como jogar o crepe por cima do armário, ai é outra história ....

e eis a receita do crepe breton...
Ingredientes°°°
  • 250 g de trigo
  • 4 ovos
  • 50 cl de leite
  • 1 pitada de sal
  • 50 g de manteiga salgada
  • 10 cl de água
  • 2 colheres de açucar
Preparo°°°
  • Em uma tigela quebre os ovos e bata misturando aos poucos o trigo e o sal
  • Depois junte o leite e o açucar, a água progressivamente, utilisando um batedor para não embolotar
  • Em seguida, junte a manteira derretida, deixe a massa descansar durante 45min na geladeira.
  • Utilise uma frigideira para fazer os crepes bretons, coloque uma gota de óleo ( astucia...umedeça um papel toalha com oleo e passe no fundo da frigideira e depois de quente coloque uma concha de massa de crepe.
  • Utilize o tempo de dois minutos para cada face do crepe com a ajuda de uma espatula para virar os crepes.
Para evitar que embolote a massa°°° use um trigo de boa qualidade e passe ao crivo antes de usá-lo ou coloque os ingredientes em um liquidificador  :)

sábado, 10 de novembro de 2012

BIOJARI,as mudanças começam a partir de novas idéias

Elizabete Rodrigues, Adymailson Santos e Thysianne Teixeira
Um projeto que nasceu da vontade de ajudar a mudar a vida de uma comunidade. Assim surgiu o BioJari: As mudanças começam a partir de novas idéias.  Ele foi desenvolvido pela professora e orientadora Elizabete Rodrigues e três alunos da Escola Estadual Mineko Hayashida do Municipio de Laranjal do Jari(Amapá), Adymailson Santos, Islla Marreiros e Thysianne Teixeira,técnicos em manutenção de computadores. 
Depois de vivenciarem todos os anos os mesmos problemas no município de Laranjal do Jari(Amapá), de enchentes e incêndios, surgiu o BIODIGESTOR. 
As moradias de Laranjal do Jari são caracterizadas por palafitas, e sofrem pela falta de saneamento basico e tratamento do lixo doméstico, o que causa problemas anualmente quando a estação chuvosa chega.
Vivenciando diariamente essa problemática fora e dentro da escola, pois a maioria dos desabrigados ficavam hospedados no local durante as enchentes, Elizabete e seus alunos tiveram a idéia de desenvolver o projeto BIOJARI. Eles foram ao encontro dos habitantes do bairro das Malvinas para saberem quais suas principais dificuldades. Depois dos problemas serem diagnosticados, a equipe de novos invetores desenvolveram o biodigestor. Uma invenção planejada no laboratório no fundo do quintal com o objetivo de melhorar a qualidade de vida da população de Laranjal do Jari. Ele se trata de um recipiente lacrado feito com duas caixas d'água preenchido com lixos e esgoto. O estudante que participa do projeto Adymailson Santos explica o processo "Cerca de 15 a 25 dias produz o gaz metano, e esse gaz seria distribuido através de tubulaçoes para a população".
Maquete do projeto BIOJARI

Eles fizeram esquema no computador e testaram o modelo que funcionou,  escreveram o projeto em feiras de ciências no Brasil todo. Enfim eles foram selecionados para participar da 27ª Mostra de Ciência e Tecnologia - MOSTRATEC em Novo Hamburgo-RS. Essa feira destina-se a apresentação de projetos de pesquisa em diversas áreas do conhecimento humano, realizados por jovens cientistas do ensino médio e da educação profissional de nível técnico.
www.mostratec.com.br
E assim eles apresentaram o BIOJARI e ficaram entre os melhores, e foram premiados com o INTEL o principal prêmio do evento que deu direito de participarem no mês de maio na cidade de Pittsburgh(EUA) da maior competição pré-universitária de Ciências e Engenharia do mundo, a ISEF. 
Mas os problemas continuavam no caminho, eles conseguiram as passagens de avião, mas ainda faltava outras burocracias, como fazer o passaporte e adquirir o visto, mas isso não fez perderem o estímulo. De volta a Laranjal a equipe  fez o que pôde para conseguir dinheiro, o esforço foi grande, Elizabete pagou aulas de professor de inglês para ajudá-los, gravou a apresentação do projeto em inglês no celular de cada um, assim eles poderiam praticar de acordo com seus tempos disponiveis, e em qualquer lugar. 
Professor de Inglês
E assim eles chegaram na Pensilvânia e ganharam medalhas e diploma da Marinha Americana e uma certeza, que só a perseverança no que se acredita pode construir sonhos...Como diz a musica de  meu querido Renato Russo "nunca deixem que lhe digam que não vale a pena acreditar no sonho que se tem, de que seus sonhos nunca vão dar certo, ou que você nunca vai ser alguém...."
O trabalho desses jovens guerreiros inventores do amanhã continua, e as propostas para o municipio estão de pé, esperando que os gestores façam seu trabalho e apoiem solução realizáveis como esta para a melhoria de vida do cidadão.
Que esse exemplo não fique apenas sendo usado para propaganda política e que esses jovens encontrem apoio de gente que quer ver o Brasil avançar dignamente.
Vejam o video do Fantástico:http://globotv.globo.com/rede-globo/fantastico/v/professora-do-para-ajuda-alunos-do-amapa-a-realizarem-um-grande-sonho/1966353/

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

O país dos mistérios se ilumina

Vista da cidade de Wissembourg do alto- ©Survol France
Wissembourg
Situada na borda da floresta de Hagueneau, Wissembourg está no coração do país do legendário Hans Trapp e no topo de um triângulo de ouro de restaurantes renomados e premiados.
O Hans Trap é uma lenda de um homem que de tanto ser preseguido por sua vida mundana ele se isola no topo de uma montanha e vira um comedor de homens....Então ao cair da noite nos arredores da Abadia  de Saint-Pierre et Saint-Paul você pode topar com o velho legendário Hans Trapp.
Na arquitetura a cidade aprensenta os traços de um passado próspero onde o centro é marcado pelos traços aristrocatas.

Um dos eventos mais esperados do ano é o Natal, e a partir do dia 1º a cidade se veste de maravilhosas decorações e luzes as feiras acolhem os visitantes todos os  finais de semanas do 1º de dezembro, e para sentir os calafrios da lenda do Hans Trapp o ponto de partida é o departamento de turismo de Wissembourg que  organiza um evento em torno dessa figura legendária.
www.ot-wissembourg.fr


Soufflenheim et Betschdorf
blogs.cotemaison.fr
Duas cidades de talentos consideradas como capitais das cerâmicas da Alsácia. Uma tradição que passa de geração a geração e que é quase impossivel não encontrar um objeto de cerâmica em cada casa da região. Uma tradição que vem de 1802 respeitando o saber tradicional do sabor regional. 

Quando chega dezembro os artesãos se apressam em preparar as peças que irão deslumbras os visitantes das feiras de Natal. Além dos objetos de cozinha eles fabricam cresches e objetos de decô! Os produtores locais também participam propondo suas especialidades do terroir da região.
Criação de luminárias dos artesão locais www.cotemaison.fr

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Talentos na escola...

Projeto Cultural da Escola Publica de Macapá Esther Virgolino Foto:http://www.agenciaamapa.com.br/fotos/3487/
Olhando do lado de cá a minha cidade Natal,Macapá, fico cada vez mais orgulhosa, sei que ainda existe muito trabalho pela frente, mas o começo é esperançoso. 
Projetos culturais e ambientais essas são duas diretrizes que a educação precisa firmar. Não sou uma especialista em educação, sou apenas um apreciadora de talentos que observo os tesouros da humanidade através de minhas lentes fotográficas; e através delas consigo desvendar o desejo de viver e vencer. Vencer na maneira de realizar seus sonhos, de poder ter um lugar ao sol, de poder vibrar com o talento que cada um de nós guardamos dentro de si.
Tenho um percurso profissional e pessoal vivido completamente dentro do saber. Minha mãe professora, meu pai economista, pessoas simples, mas que souberam dar o ensinamento necessário para seus noves filhos, onde a educação foi a base de nosso crescimento...quando falo de "educação" falo de valores da vida humana e que através deles aprendemos a respeitar as diferenças, pois é ai que está um dos maiores entraves do desenvolvimento. O diferente é sempre posto de lado ou tido como um obstáculo para continuarmos a caminhar.
Outro dia vi um debate na UNESCO sobre " Uma educação de qualidade para os jovens" um discussão que não tem fim, procuram "receitas milagres" ou um "modelo" eficiente...impossível de encontrar um antídoto, pois somos diferentes, cada um pensa e age diferentemente, por isso fazer o jovem um modelo unico é perda de tempo. 
Um exemplo aqui na França na cidade que moro Dole na França. Eu percorro todos os dias as ruas da cidade, os eventos, as escolas e bibliotecas. 

O método que está ajudando os jovens a encontrar novas saídas para seus projetos profissionais, é  a escola técnica. Atualmente elas encontram-se em pleno desenvolvimento devido a demanda da maioria dos jovens que não querem continuar seus estudos em direção a universidade e procuram logo o mercado de trabalho. Uma necessidade de cada um de ter seu próprio espaço e suas responsabilidades. Mas por outro lado a vida cultura da cidade vive ainda no passado. Os eventos que são feitos, a maioria são em torno das pessoas célebres de outrora, claro eles devem serem lembrados, mas como podemos salvar um patrimônio memorial de uma região ou de país se não agregarmos à esse projeto o futuro?
Area em frente da Mediateca da cidade de Dole
Na Mediateca da cidade os jovens são numerosos, eles se reunem em frente a um dos maiores centros de cultura da região, mas eles preferem ficar na rodada de amigos ouvindo musicas, e claro navegando no facebook. Eu frequento semanalmente a mediateca a procura de fontes para meus artigos e a maioria dos frequentadores são idosos, adultos e crianças...uma biblioteca tão rica precisa falar e se expressar caso contrário será fadada ao mofo e as traças. Conversando com um dos funcionários eu pergunto sobre projetos culturais para os jovens, musica, teatro, dança, etc...ele me diz que "Antes tinham eventos com concertos e exposições para jovens talentos, mas tudo isso foi esquecido hoje só temos dinheiros para as exposições e eventos que não são de interesse da maioria dos visitantes".
Nós precisamos assegurar que o desenvolvimento de projetos e programas visando a educação são diferenciados em cada país, cada um tem suas características somente valorizando esses pontos eles podem crescer e proteger sua cultura. A base é a universalidade dos valores e precisa ser valorizada para que  não sejamos classificados por guetos de ricos e pobres.
A educação de qualidade não se limita apenas na aquisição de competências em cada dominio de estudo, mas sim em temas relacionados ao mercado de trabalho, a insistência nos valores universais, morais e a capacidade de inovar são qualidades necessárias para se formar um cidadão do mundo.
Projeto Cultural da Escola Publica de Macapá Esther Virgolino Foto:http://www.agenciaamapa.com.br/fotos/3487/
Por isso BRAVO aos organizadores da diversidade cultural do Amapá, estamos sim no rumo certo sem valorizar as diferenças de nossos talentos a cultura não pode viver e nem ter amanhã.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

As mais belas feiras de Natal da Alsácia


Na França a região mais representativa do Natal é a Alsácia. Ela é a terceira região mais populosa e é dividida em dois departamentos o Alto Rhin e o Baixo Rhin.
A partir de novembro a região da Alsácia se tranforma em um verdadeiro espaço de magia  de um mundo encantado. Um fervor crescente que vai de Wissembourg ao norte até a cidade de Moulhouse ao Sul, o tempo de contos e fadas está presente. 

Os Chalés espalhados pelas feiras de Natal representam a chegada desse tempo e propõe aos visitantes enfeites artesanais, decoração de mesa, creches, brinquedos...e claro os quitutes regionais.
Uma das guloseimas tradicionais é a Bredele da Alsácia.
E o vinho quente não pode faltar!!!
Vinho quente da Alsácia
Na famosa praça Kléber na cidade de Strasbourg é o local mais movimentado e sua grande arvore de Natal com seus 30m transforma a noite local.

Os habitantes, comerciantes, artesãos, antiquários se unem em torno dese projeto de luz e magia da região da Alsácia. Durante essa época de festa as pessoas se sentam a mesa em torno de pratos regionais carinhosamente preparados antes de entrarem nas catedrais medievais para um recolhimento espiritual em orações desejando melhores dias pra todos. 
As catedrais antigas fazem parte da glória patrimonial da Alsácia. Suas feiras, sua magia, e esse mundo fantástico fazem o entusiasmo sincero e a criatividade local que é o sucesso chave dessa região.
Nesse ambiente acolhedor e caloroso eu os convido para conhecer um pouco o que essa região tem de mais belo na época do Natal.

Naramazonie

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Macapa