quarta-feira, 14 de agosto de 2013

nas margens do Sena

Paris olh@res
Esse é um dos primeiros lugares que eu conheci quando fui pela primeira vez à Paris, a rota dos buquinistas do Sena (Le bouquinistes). Sou uma apaixonada por cartazes antigos, contemporâneos também mas a arte de fazer a mão me facinará sempre :)
Mas a cada ano que visito tem alguma coisa que muda, e em 2013 é visível a invasão "Made in China", nada contra, cada um trabalho com suas potencialidade, mas visitar Paris e comprar lembrança feitas na China, é como visitar um estande temático em uma grande exposição :/.

Paris olh@res
Mas minhas bancas preferidas são as de gravuras, livros, revistas, e cartazes antigos.
Essas bancas passam de geração para geração , elas são heranças de uma passado bem movimentado da literatura francesa em uma bela época.
A origem do termo bouquiniste que deriva da palavra bouquin(livro). Os bouquins eram designados como livros de pouco valor vendidos pelos cacheiros viajantes nas ruas de Paris. Eles eram considerados como uma concorrência desleal pelas livrarias. 
A profissão  de bouquiniste foi regulamentada em 1859 que deram direitos aos pontos fixos na margem do rio Sena em forma de grandes malas de ferro de cor verde.
O certo é que o rio Sena sem os bouquinistes não tem o charme e a poesia, e por isso eles fazem parte dessa paisagem atraente, sonhadora, e literária da bela época parisiense.
Dessa vez meu objeto de desejo foi um livro que reune todas as principais obras de Oscar Wilde pelo preço de 14 euros.

Paris olh@res
Depois de pegar meu livro fui viajar nas imagens de cartão-postal, fotos e pinturas que ainda são feitas em Paris por artistas da cidade luz.

Paris olh@res

Paris olh@res
Depois da visita uma paradinha em um café para um expresso bien corsé, ou seja forte :)

Naramazonie

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Macapa