sexta-feira, 20 de agosto de 2010

O rei do desenvolvimento sustentável é tailandês

Rei da Tailândia depois de 1946 - Bhumibol Adulyadej

Conhecemos a Tailândia pelas suas belas e paradisíacas paisagens, seu potencial turístico, sua cozinha refinada, mais fora todos esses clichês, não conhecemos o rei do desenvolvimento sustentável que governa o país desde 1946. Bhumibol Adulyadej,nasicod nos Estados Unidos em 5 dezembro de 1927, sua magestade o rei da Tailândia reina há mais tempo e o chefe de Estado mais antigo ainda em serviço de todo o mundo. Ele pratica no seu país sua tese do desenvolvimento durável compartilhado com milhões de pequenos produtores agrícolas.
Ele é conhecido também pelo maior reinado da historia. Sempre no poder, ele emprega depois de 1974 o modelo de ecônomia de autosuficiência. Ele estimula os pequenos agricultures agrícolas à procurar satisfazer primeiramente a autosuficiência alimentar, a diversidade de suas produções e uma mínima dependência dos produtos industrializados. Mais precisamente, ele propõe uma atitude de moderação, integração no ecosistema e organização cooperativa e solidária no seio da comunidade.
Inspirado na religião Budista e em pensadores como Erns Fritz, as idéias do rei agradava os homens poderosos da ecônomia durante a década de 80 e 90 época da explosão econômica. A crise de 1997 que abalou fortement a Tailândia, e mais globalmente a crise mundial atual do capitalismo e o desgaste ao meio-ambiente, deram existência e força à suas teses.

Um dos conceitos aparentes da ecônomia de autosuficiência é de  « Imunidade Social » e que o produtor e sua comunidade devem privilegiar a diversidade de seus recursos, a autosuficiência alimentar, antes de se enganjar no desenvolvimento de culturas de maior geração de renda e de consumismo.

Assim, face à econômia mundializada, o desenvolvimento imoderado de uma agricultura intensiva mecanizada, e de uma monocultura em todo o mundo que nunca enriqueceu verdadeiramente os agricultutores, o rei não cessou de empregar um modelo de desenvolvimento moderado, etapa por etapa, e sobretudo diversificado.

Seu modelo de desenvolvimento sustentável é que cada produtor deverá dividir sua produção em quatro, ou seja:

30% dedicada à cultura do arroz (destinado prioritairement à consumação familiar, e o excedente comercializado)
30% dedicada à construção de reservatorios d’água
30% dedicada as culturas frutíferas, hortas, grãos e também, criação de aves, animais bovinos, tanto para alimentação familiar como para a produção de adubos naturais
10% para habitação

Um exemplo prático à sua teoria.
Ele desenvolveu fazendas modelos e centros de aprendizagem em todo país seguindo seu modelo, começando por sua fazenda bio, que está instalada em seu palácio no coração de Bangkok.
 
Un rei experiente, hoje com 73 anos, mais que percorreu o país durante vários anos, incansalvemente, ao encontro de seus pequenos produtores com novas idéias além do modelo intensivo e o pensamento único globalizado. De visão diversificada que ousou realizar seus sonhos de um mundo melhor para seu povo empregando a agricultura orgânica, as técnicas agro-ecológicas e os princípios de moralidade inspiradas na espiritualidade budista: a moderação, a cooperação, o respeito ao ser vivante sob todas as formas.
Um exemplo que marcará e provalvelmente influenciará nossos dirigentes políticos à favorizar as pratiquas duráveis e à defender uma verdadeira visão do desenvolvimento.
 
Fonte:

Naramazonie

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Macapa