domingo, 31 de outubro de 2010

Vila de Taparabu

Um pôr-do-sol digno de santuários ecológicos - Vista da vila de Taparabu ao entardecer - Photo:Nara CHAMBLAY

Vila de Taparabu - Photo:Nara CHAMBLAY

A procura de minhas fotos de viagens, encontrei um verdadeiro arquivo em imagens sobre Oiapoque. Nas trilhas dos projetos da UNIFAP conheci pessoas, municípios do estado do Amapá. Foi uma época maravilhosa e de um crescimento interior fantástico. Aprendi a respeitar muito mais o meio ambiente, nossas raízes culturais de um povo verdadeiramente guerreiro, de sabedoria e experiências de vida enriquecedoras.
Jovem catraieiro da cidade de Oiapoque - Photo:Nara CHAMBLAY

Chegando a Taparabu - Dinha, Maia e Roberto - Photo:Nara CHAMBLAY

Prof. Jean da UNIFAP - Photo:Nara CHAMBLAY

A Vila de Taparabu está localizada dentro da reserva indígena, cerca de 10km de Oiapoque pelo rio. Nossa equipe era composta de dois professores da UNIFAP, Josuel (Artes), Jean(Geografia), Maia(Prefeitura de Oiapoque), Roberto(Rádio Beija-flor FM) e a Dinha(artesã de Oiapoque) e eu para registrar toda viagem com filmagens e fotos.
Partimos no dia 23 de agosto de 2005. A viagem seria de reconhecimento de áreas da região para pesquisas e projetos dos professores. Partimos às 15h00 descendo o rio Oiapoque de catraia acompanhados de dois catraieiros experientes que conheciam muito bem esse trajeto, pois iríamos até a ponta do Índio. Nossa permanência em Taparabu tinha duração de uma noite, e pela manhã, antes do nascer do sol, viajaríamos em direção à ilha do papagaio para ver e registrar a revoada das aves em uma região ainda totalmente virgem e selvagem, um santuário ecológico e um berçário de nossa biodiversidade.
Casas dos moradores de Taparabu - Photo:Nara CHAMBLAY

Sr Moacir, esposa e filho - Photo:Nara CHAMBLAY

Caixa-d'água e motor de luz da comunidade - Photo:Nara CHAMBLAY

Casa do Sr Moacir - Photo:Nara CHAMBLAY

Montamos acampamento na escola de 1º Grau de Taparabu, onde passamos a noite. Fomos recebidos pela família de Sr Moacir. Na comunidade moram cerca de cinco famílias de lavradores. A comunidade tem um motor de luz, caixa-d'água e é abastecida com ajuda da prefeitura de Oiapoque. 
Escola de 1º Grau Taparabu- Photo:Nara CHAMBLAY

Durante a noite Sr. Moacir nos convidou para jantar com sua família, um jantar farto de peixe e caranguejo, típico da região. Conhecemos também um senhor que adora música e nos fez escutar sua viola durante o entardecer, pena que não lembro mais o nome dele, mas sei que um dia voltarei para uma visita, e então não esquecerei mais o nome desse incrível cantador do rio Oiapoque, que mesmo com seus limites físicos, encontrou um meio de ser feliz através da música.As adaptações fazem parte da rotina de pessoas com deficiência, mas não as impedem de viver, pelo contrário, elas nos mostram que a eficiência interior nos faz superar a deficiência física e que a solidão que inflama o coração surge  com um sorriso alegre de esperança.
O cantador do pôr-do-sol - Photo:Nara CHAMBLAY

No olhar um sinal de esperança através da música -Photo:Nara CHAMBLAY


Naramazonie

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Macapa