domingo, 22 de julho de 2012

os rebeldes do futebol

Eu cresci ouvindo o nome do Corinthians e do Sócrates em casa, nasci em uma familia numerosa onde a maioria sete homens e apenas duas mulheres. Então, era normal escutar sobre futebol,e o Corinthians era o numero 1 da conversa. Assim, debutei no futebol adorando o Corinthians e o Doutor, que na época era um dos idolos do clube e dos torcedores do belo futebol de garra e raça.
Mas até hoje eu nunca entendi o porque de tanta devoção, pensei que era somente pelo talento dos seus jogadores, claro como mulher meu interesse parava nos gols, mas vendo essa manhã uma maravilhoso documentario francês sobre os REBELDES DO FUTEBOL contado por Eric Cantona através de jogadores como Melkloufi, Pasic, Caszely, Drogba e o nosso Doutor Sócrates, eu compreendi o que meu pai queria passar para nos através desses idolos e do futebol. Eles se tornaram figuras da resistência ou rebelião além de seus talentos esportivos.
www.arte.tv/fr/Les-Rebelles-du-Foot/6727602.html


Erick Cantona: Podemos nos servir do futebol para educar as pessoas, fazer passar a idéia de progresso, correndo atras de uma bola, participar da democracia marcando gols. Em 1980, eu tinha 14 anos e eu não sabia que no Brasil era ainda uma ditadura militar, e não sabia que em São Paulo jogadores decidiram se liberar para lutar pela democracia, o lider, Socrates o capitão da seleção e do Corinthians heroi do povo e do BRASIL.
Se debater por suas idéias, compartilhar  e votar, um homem, uma voz, o futebol como laboratoria do que pode ser a vida, mas em plena ditadura militar precisa ser louco para acreditar.
Vencer ou perder mas sempre como a DEMOCRACIA. Em 1982 eu era criança,mas essa bandeira eu iria adorar levantar e agitar no estadio de São Paulo.

Doutor Socrates repouse em Paz!
Juca Kfouri: Se você perguntar se Socrates foi o maior jogador do Corinthians ? Eu diria não! Rivelino foi o melhor, mas Socrates foi o mais original jogador da historia do Corinthians.
E reune-se no corinthians um médico de boa cabeça e talentossimo jogador , Socrates, um muleque rebelde chamado casagrande, um jogador negro muito simpatico e de cabeça otima chamado Wladimir e um sociologo Adilson que assume a direção do Corinthians.

Washington OLIVETTO: Seu fisico totalmente atipico, um sujeito grande com o pé pequeno, e descobriu que se ele virasse para tocar na bola ele poderia cair, e assim, criou o "toque de calcanhar" orientando o jogo de maneira magica, ele adorava jogar futebol, mas não de falar de futebol.

Rai:  Eu tinha dificuldade de vê-lo como irmão, eu o via mais como idolo, quando ele chegava em casa eu ficava escutando o que ele falava e demorava alguns dias para eu tomar consciência que era meu irmão, tamanha a importância que ele tinha para o pais.

Adilson MONTEIRO ALVES:  A democracia corintiana é uma definição, foi a voz do esporte brasileiro. Ela representa o futebol, a voz do esporte pela redemocratização do pais.

Wladimir:  Nos éramos escravos naquela época,(anos 80), e ai veio a democracia corintiana, nos tinhamos um grupo no corinthians que tinha uma consciente politica de seus deveres e de suas obrigações.

Veja o documentario na integra:
a partir de 72min o Brasil fecha o documentario com a maravilhosa historia do Doutor Socrates no Corinthians. Torcida da FIEL!
 

A Francophonie no meio do mundo

No dia 1° de setembro professores e alunos do curso de francês do Centro Cultural Amapaense estiveram no #lecafebistrot ,localizado ...