domingo, 10 de julho de 2011

eco-desenvolvimento urbano...


As cidades e bairros eco-sustentáveis são produtos de um urbanismo que integra os princípios do  desenvolvimento sustentável. As estratégias desse novo produto são voltadas ao crescimento urbano, o consumo de energia, a reciclagem e a paisagem urbana. Fazem partem também dos objetivos susténtável a diversidade social e a independência alimentar. Estas iniciativas começam a dar frutos em pequena escala, e outros projetos estão sendo elaborados em favor do urbanismo eco- inovador.

Os prédios são contruídos para consumir menos energia. Eles privilegiam a utilização de energias renováveis: painéis solares, eolianas, geotérmicas, aquecedores de água solar. Eles são isolados para reduzir o consumo de energia para o aquecimento e são construídos com materiais sem danos para o meio ambiente (madeira, argila, isolantes vegetais). Os desperdícios são evitados tanto ao nível individual quanto ao nível coletivo: reciclagem, recuperação d'água da chuva,...
A cidade sustentável  ocupa menos espaço, favoriza o deslocamento a pé, de bicicleta ou em transportes coletivos. A cidade sustentável é mais verde, com jardins verticais em simbiose com a paisagem urbana, de telhados verdes e com parques e jardins próximos.
Nos bairros da eco-cidade a diversidade social e as habitações são pontos essênciais deste novo modelo urbano sustentável, assim como a produção e consumação dos bens locais: aprovisionamento alimentar, regional e apoiando o comércio equitável com o objetivo de reduzir a distância alimentar.

Na Europa as cidades sustentáveis são desenvolvidas em estruturas de tamanho limitado: os eco-bairros. O mais conhecidos entre eles é o bairro Vauban na cidade de Fribourg, na Alemanha. 
Bairro Vauban, Fribourg,Alemanha
bairro Vauban
Prédios com telhados verdes, painéis solares
Em torno de 2000 habitações e cerca de 5000 habitantes, preenchendo um objetivo arquitetural com prédios de alta qualidade ambiental, casas com energia verde priorizando as paisagens de espaços publicos, limitando o tráfego de automóveis e a organização das linhas de trem. A participação dos cidadãos é intensa na construção de seus imóveis com formação de grupos de voluntários, criando assim um elo social e reduzindo os custos.
O bairro BedZed (Beddington Zero Energie (fossil) Development), situado no sul Londres, é outro exemplo com apenas 80 habitações 2500 m2 de escritórios em 1,7 hectares. 
Bairro de BEDZED em Londres

Telhados com energia verde :)
O bairro contruído com o princípio da taxa carbono neutro, origem de seu nome, rapidamente tornou-se uma referência em matéria de redução do consumo energético e de controle de impactos ambientais.
Outros bairros existem na Europa, principalmente ao norte, Suécia(Malmö, Estocolmo), Dinamarca(Copenhague). Na França na cidade de Chalon-sur-Saône, na região de Borgonha, foi criado um eco-bairro em Saint-Jean des Jardins. Vários outros projetos estão em via de serem concretizados em Toulouse e Paris.


Uma tendência crescente...
A idéia da cidade sustentável não é de hoje. A capital do Paraná, Curitiba desenvolve desde 1964 uma política de desenvolvimento durável, tanto ambiental quanto social. Ela conta com inumeras zonas de pedestre, cerca de 50 m2 de espaços verdes por habitante, 120 km de ciclovias, uma linha de ônibus e organiza a reciclagem do lixo. Várias ações sociais de educação ambiental são implementadas nos bairros para os jovens com atividades de horticulturas, esportivas e culturais.
Auroville, India
Parque da cidade de Auroville, India
No outro lado do planeta, Auroville, perto de Pondichéry na India, foi construída em 1971 uma cidade com caracter hippie e acolhe mais de 1000 habitantes atualmente.
Cidade ecológica de Dongtan, China
A capital dos Emirados Arabes Unidos, Abou Dhabi, projeta igualmente de contruir em pleno deserto um eco-bairro, com o nome de Masdar, que poderá receber 50000 habitantes até 2015. A água será fornecida pelas usinas e energia solar. Todos os lixos serão reciclados e não terá automóveis.
Recentemente as autoridades chinesas anunciaram a contrução de uma cidade ecológica, Dongtan, próximo de Shangaï. Ela abrigará cerca de 50 000 habitantes, uma cidade autosuficiente em energia (eoliana e solar), com uma alimentação baseada na agricultura biologica com o principal meio de transporte automóveis híbridos.
A midiatização destes dois ultimos projeto não deve fazer esquecer que a China é a primeira da lista de emissão de gás efeito estufa e que os Emirados Arabes são, pelo numero de habitantes, o terceiro na classificação atrás do Qatar e do Kuwait.


Fonte:goodplanet

A Francophonie no meio do mundo

No dia 1° de setembro professores e alunos do curso de francês do Centro Cultural Amapaense estiveram no #lecafebistrot ,localizado ...